Centro de Pesquisas VIDAS

GENÉTICA

Genética

A ciência a serviço da vida
Quando uma criança nasce, é comum os pais "disputarem" para ver com quem ela se parece mais. Essa semelhança entre filhos, pais, avós (e até mesmo parentes mais distantes), se deve à hereditariedade: uma herança genética que recebemos de nossos genitores.

Pode-se dizer que hereditariedade é o mecanismo de transferência das informações, através dos genes humanos. Os genes controlam não só a estrutura e as funções metabólicas das células, como também todo o organismo. O ramo da biologia que analisa os genes é chamado de genética.

O conjunto dos genes é o genoma - código genético do ser humano, presente em cada uma de nossas células. Todas as informações para o desenvolvimento e funcionamento do nosso organismo estão dispostas nesse material genético e são codificadas pelo DNA.

Atualmente há muitas pesquisas sobre o código genético, pois, através do mapeamento genético do genoma humano é possível, por exemplo, saber a probabilidade de uma criança nascer com a saúde debilitada. Muitos cientistas acreditam que, muito em breve, será possível descobrir a causa e a cura de muitas doenças, como: síndrome de Down, albinismo, epilepsia e leucemia.

Enfim, a genética é parte indispensável em todo esse processo, com papel fundamental no estudo de perdas gestacionais. Daí a importância do cariótipo (análise de cromossomopatias), indicado a todos os casais antes de engravidar para tentar evitar abortos ou doenças genéticas. O VIDAS dispõe de acompanhamento minucioso para esses casais que recorrem a especialistas em reprodução humana. As técnicas diagnósticas utilizadas são muitas, como, por exemplo: avaliação pré-concepcional; pré-natal; diagnósticos de alterações cromossômicas; de doenças hereditárias e aconselhamento.

Indicações para investigação genética:
- História de aborto de repetição (duas ou mais perdas);
- Gestação atual, apresentando as seguintes características: traslucência nucal alterada; malformação fetal ou com restrição de crescimento; história de exposição à radiação, medicamentos e outros agentes teratogênicos; alteração na quantidade de líquido amniótico; mulheres com idade superior aos 35 anos; casais com parentesco de 1º ou 2º grau;
- História familiar de doenças genéticas;
- História de malformações fetais em gestações anteriores;
- Infertilidade conjugal.

 
Rua Frei Matias Teves, n. 280 - Empresarial Albert Einstein, salas 113/115 - Ilha do Leite - Recife - PE
FONE: (81) 3222-2663